Emagrecimento

Zé Paulo – Para começar uma pergunta que vale um milhão de calorias negativas. Qual o “segredo” do emagrecimento?

Wagner Fernandes – O segredo para emagrecer acho que é a força de vontade, porque não é nada fácil. Você abre mão daquilo sempre gostou e do que sempre lhe deu prazer, porém com o tempo percebemos que esse “prazer” não era realmente saudável e que uma alimentação melhor pode ser tão prazerosa quanto, hoje nesta nova fase da alimentação nunca mais senti a sensação de estufado que eu sempre tinha quando saia da mesa do almoço ou do jantar, você se levanta ainda com disposição e não com vontade de dormir 10 dias seguidos de tanto que comeu.  Precisa lidar com preconceitos próprios e alheios.  Se privar de comer até chegar no seu objetivo e as vezes esse objetivo não chega no tempo que você quer. O principal desafio que eu enfrento até hoje e mesmo depois de mais de 3 anos de luta e ainda perco é a mente.  Ela é a vilã porque o estômago já não aguenta mais a porção de antigamente, mais na sua cabeça você ainda quer toda aquela comida. Então come verdura e legume pensando nas gordices e quando tem um dia do lixo, você realmente faz um lixo de comida.  Esta é a principal dificuldade que eu preciso vencer e que todos precisam que é a mente. Acredito que na hora que conseguir se conscientizar de que não precisa de 1 quilo de comida no almoço para se sentir bem, aí o resultado flui mais rápido.

Zé Paulo – Quantos quilos você perdeu?

Wagner Fernandes – Foram 53 quilos, eu sempre fui gordo, nunca cheguei a ser magrinho nem por um instante, meu “ápice” foi 150 kg, mas consegui chegar em 98 kg, contrariando inclusive o último endócrino que eu passei, que me sugeriu a cirurgia bariátrica. Segundo ele, eu não chegaria aos 110 quilos, ele ainda enfatizou que 110 é o máximo de peso que eu alcançaria mesmo com a bariátrica. Porém devido ao meu tipo físico endomorfo (maior quantidade de gordura corporal), qualquer deslize é um prejuízo grande, então esse peso vive oscilando, seja por vacilo alimentar, ou por treinar mais pesado na musculação e etc, hoje estou com 101 quilos.

Zé Paulo – Cite momentos marcantes (positivos e negativos) desta trajetória de emagrecimento.

Wagner  Fernandes – Pontos negativos e positivos tenho vários, vamos começar com os positivos:  Hoje  quando eu tenho que pegar trem, eu subo as escadas rápido de dois em   dois degraus e chego no final pouco ofegante, antes, na metade  morreria.  Uma   coisa que todo gordo que emagrece um pouco faz e isso é fato é amarrar o tênis, cara eu fico tão feliz de conseguir isso, que coloco o pé em cima da pia. Tenho mais fôlego, hoje eu consigo correr direto sem parar por no mínimo 3 quilômetros e faço isso abaixo dos 25 minutos, uma alegria    muito grande.    As roupas, lembro de entrar em lojas e ouvir do vendedor:  . Não     me leve a mal mais eu não tenho roupas do seu número, infelizmente me desculpe. Hoje eu chego na loja e os vendedores não me olham torto. E   por último e não menos importante, tirar fotos, pode parecer algo     besta, aliás todas as coisas acima podem parecer besta para as pessoas, mas a auto estima, melhora e muito depois que você perde o tanto de peso que eu perdi. Hoje em dia eu gosto de tirar fotos, coisa que antes de jeito nenhum eu fazia, o que é ruim pois não tenho muitas fotos de para fazer o antes e depois.

Já os negativos:   Dores de cabeça e nervosismo que normalmente a baixa calórica causa.    Quando você reduz muito e de forma errada o consumo de calorias seu corpo emite vários alertas, seja em forma de dores, ou alguns sintomas piores, como pressão baixar, visão turva e etc.  Vivemos num mundo onde comer mal é moda, então quando você decide ser   regrado, e quando eu digo regrado quero dizer que fiquei num estado de comprar balança para pesar o que eu iria comer, minha janta ainda é assim, a minha namorada Lisandra, me dá uma super força. Ela cozinha e armazena em marmitas, 100 gramas de vegetais e 100 gramas de proteínas (carne ou frango) e num nível desses você não consegue se alimentar direito na rua, não consegue elaborar um plano alimentar decente.  Pois se você esquece de levar algum dos     alimentos, na rua não dá para substituir, no cliente que eu estou, quando vou de trem, ando por 20 minutos até a estação e vice e   versa e nesse percurso não tenho nada disponível com baixa caloria e com bons nutrientes. Temos lanchonetes e pizzarias aos montes, fora os barzinhos, então se você quiser um hambúrguer ou um prato extremamente gorduroso, encontrará facilmente.

Ter   de me afastar mesmo que inconsciente dos amigos e alguns familiares, veja ninguém é obrigado a fazer regime contigo, porém se está numa dieta rígida, como vai ao happy hour? Como vai no churras dos amigos? Ou você não vai simples assim, ou vai e não come nada ou     bem pouco e aí acaba sendo alvo de chacota, pois o churrasco está rolando e você lá com uma carne magra e bebendo agua.  No happy hour todo mundo com petiscos e você comendo um lanche integral. Isso é chato as vezes, porém se você tem um objetivo e quer realmente que dê certo, precisa passar e enfrentar isso.  Aqueles que realmente se importam com você irão entender. Como eu citei acima, até o entendimento chegar nas pessoas que você ama, gera um desconforto, porque veja ninguém está acostumado com a sua atual situação e como eu disse ninguém é obrigado a fazer regime com você. Então as vezes eu não podia sair ou não queria porque a minha mente ainda tem 150 quilos e minha namorada achava ruim e gerava desconforto, isso com namorada ou filhos e etc.  Hoje é diferente, todos entendem e conseguem compartilhar, muitos dos meus novos hábitos foram incorporados por eles e com isso eles ainda não precisam fazer regime comigo, mais sabe que a minha comida é diferente e isso hoje não interfere em nada a rotina da casa.

Zé Paulo – Fale mais sobre a expressão “cabeça de gordo”

Wagner Fernandes – O cérebro de gordo é a pior luta que você tem para emagrecer, pois fica fácil um deslize, tentações temos em todos os momentos e em todos os lugares. Devíamos primeiro treinar a mente e depois o corpo para resultados mais duradouros. Estou convencido que a falta de informação, aliada a uma mente desequilibrada geram todos os resultados negativos de um emagrecimento, pois temos vários alimentos que são classificados como naturais ou fitness quando na verdade não são.

Zé Paulo – Cite algum exemplo.

Wagner Fernandes – Dizem que precisamos comer queijo branco ou cottage que é melhor e menos calórico, porém se estudarmos vamos descobrir que quanto mais amarelo for o queijo menos carboidrato ele tem, pois é mais rico em gordura, então, você pode economizar e utilizar uma fatia de queijo amarelo que não vai prejudicar nem a quantidade de calorias e nem aumentar a produção de insulina no seu corpo, entre outras coisas que fazem a diferença na alimentação.

Zé Paulo – Mudando de assunto, então agora você entrou no mundo do stand up comedy? Quando tomou esta decisão? Eu me recordo que desde da oitava série você fazia até o “defunto rir” no velório (risos).

Wagner Fernandes – Essa do defunto rir no velório é um elogio seu né Paulo (risos).  Realmente eu sempre tive facilidade para fazer as pessoas rirem e sempre foi de coisas na hora, enquanto outros faziam rir com piadas que decoravam, eu nunca fui bom em decorar nada. Então pegava um assunto e dali fazia algumas coisas, saia na hora, a galera ria bastante e eu sempre levava o nome de besta (risos). Então desde aquela época eu já trabalhava no modelo stand up sem saber.  Perdi muito tempo, pois eu sou extremamente tímido. Mas hoje com a auto estima em alta (riso) consigo disfarçar um pouco a timidez e até ouço as pessoas duvidando que eu sou tímido. Mas realmente eu sou e por isso eu perco o “time” das coisas, mais como dizem que nunca é tarde para começar, eu resolvi investir fazendo alguns textos e gravando com a ajuda do Guilherme que é o sobrinho da Lisandra minha namorada.  Ele atua como produtor, definindo cenários, posturas, etc.  Ele criou a conta no youtube e é o responsável pela edição dos vídeos, o moleque é muito competente.  Inclusive segue o link (inserir url do canal) para os leitores (as) do blog acessarem, likes serão bem-vindos (risos)

Zé Paulo –  Fale do projeto Waguiadas

Wagner Fernandes – O projeto é uma junção de Wagner meu nome e piadas. Original não?  (risos).  Já tinha o rascunho dele há muito tempo, mas nunca tive coragem de tirar do papel.O Guilherme criou e mantém ativo o canal do Youtube (http://bit.ly/2aTTCFA), além de uma página no Facebook (https://www.facebook.com/waguiadas/)   ele que fez tudo isso acontecer.

Zé Paulo –  Como vocês estão divulgando?

Wagner Fernandes – A divulgação está basicamente na boca a boca.  Na nossa página do Facebook postamos as novidades e com isso pedimos aos amigos para compartilharem em suas redes sociais. Também aceitamos sinais de fumaça (risos).

Zé Paulo – Observando o comportamento da sociedade na atualidade, notamos uma certa patrulha pelo politicamente correto. Como fazer humor e superar o “mi mi mi” da legião dos ofendidos?

Wagner Fernandes – Realmente hoje é bem difícil falar de humor, estou fazendo um vídeo agora sobre gordo eu e você sabemos muito bem o que é viver assim concorda?  Antigamente ouvíamos muito inclusive, piadas e tudo o mais sobre gordo. Não morremos, nem saímos por aí atirando em pessoas, porém hoje em dia, qualquer palavra a mais pode gerar processos ou uma repercussão negativa. Então para fazer um texto eu tenho que reler mais de 2 ou 3 vezes tomando cuidado com as palavras, porém, ao mesmo tempo, eu creio que o humor não pode ficar preso em estereótipos.  A liberdade de poder falar um palavrão ou mexer com algumas coisas que incomodam pessoas é o que faz rir, porém eu não gosto daquele tipo de humor que satiriza pessoas com mobilidade reduzida, mortes e acidentes de pessoas para fazer rir. Isso eu não curto. Gosto de brincar com coisas simples, por exemplo: O gordo entra no cinema com 2 pacotes de pipocas jumbo e um copo de 3 litros de coca cola quando vai sentar o que acontece? Claro desajeitado derruba tudo na camisa e inclusive na camisa da pessoa do lado, porque para o gordo primeiro encontro é o caramba garanto a minha pipoca. Veja que eu estou tirando sarro de uma situação do gordo e não falando que ser gordo é um defeito ou ainda detalhando como é o gordo, digo estrutura física. Este tipo de humor eu odeio e jamais farei.

Zé Paulo – Rapaz me fez lembrar do tempo do colégio agora. Lembra? “Gordo baleia saco de areia. João teta louca”. Era o inferno na terra (risos). Mas minha mãe não conhecia a palavra bullying. Mas isso é um tema para outra entrevista. Valeu meu compadre.  Abraços

Wagner Fernandes – Valeu Zé Paulo, obrigado pela oportunidade de contar minha história e divulgar meu projeto. Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *