Mesmo em uma economia centralmente planejada, o capital — ou seja, as riquezas existentes — não desaparece da noite para o dia.  Os planejadores soviéticos não implantaram seu regime em um deserto.  Eles não começaram do nada.  Eles tinham à sua disposição todo o capital que havia sido acumulado — durante séculos de poupança e investimento — pelos russos, ucranianos, alemães, poloneses, tchecos, húngaros e todos os outros sob seus domínios.
Sim, é verdade que não era possível para os soviéticos planejar corretamente ou determinar de maneira não-arbitrária quais bens deveriam ser produzidos.  No entanto, eles ainda assim dispunham de uma vasta quantidade de capital que havia sido acumulado ao longo de séculos pelos seus novos súditos.  E, mesmo com esse estado centralmente planejado produzindo zero de riqueza, ele ainda assim possuía uma farta quantidade de riqueza que podia ser consumida e redistribuída até ser completamente exaurida.
Isso pode ser observado de maneira ainda mais evidente em regimes que são apenas parcialmente centralizados, como é o caso da Venezuela.

leia mais… 

Fonte: Instituto Ludwig von Mises

Este
texto foi retirado da fonte acima citada, cabendo à ela os créditos pelo mesmo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *