Uma ação espetacular do Greenpeace forçou o governo do Maranhão e a indústria a discutirem os problemas que o ferro gusa vem causando na Amazônia, como desmatamento, trabalho análogo ao escravo e invasão de Território Indígena.
Sábado passado, ativistas ocuparam o porto de Itaqui, em São Luís, para impedir que uma carga de gusa embarcasse para os Estados Unidos. Após oito horas de resistência, o vice-governador do Estado, Washington Luiz, negociou o fim dos protestos com a promessa de mediar uma reunião com as principais empresas envolvidas nas ilegalidades.
As ações pacifistas, porém ousadas, do Greenpeace são uma maneira de denunciar publicamente crimes ambientais. Nossa coragem em afrontar gigantes surge da certeza de que milhões de pessoas nos apoiam.
Assine a Petição
É por isso que contamos com sua ajuda para proteger as florestas. Precisamos recolher 1,4 milhões de assinaturas para criar uma lei do Desmatamento Zero no Brasil. Assine e divulgue o Liga das Florestas entre seus familiares e amigos. Só assim vamos construir juntos o futuro de um país mais verde.
Tatiana de Carvalho Um abraço,
Tatiana de Carvalho
Coordenadora da Campanha da Amazônia
Greenpeace

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *